Entrevista | Kim W. Andersson – autor da HQ ‘Alena’

As oportunidades são maravilhosas quando aparecem e dessa vez tivemos a chance de conversar com, Kim Andresson, o autor da HQ ‘Alena‘. Vem conferir um pouquinho o que ele nós disse sobre seu trabalho na Suécia e também a história de ‘Alena’:

 

Estação Geek: Como é viver como ilustrador na Suécia?

Kim W. Andersson: Eu sou muito feliz por ter sido capaz de criar uma vida como artista. Eu faço quadrinhos o dia todo e todos os dias. Eu tenho um estúdio que eu vou e eu amo isso. A Suécia é um país pequeno e, portanto, é importante que eu seja publicado no exterior. Não só porque é incrível saber que pessoas de todo o mundo estão lendo minhas histórias, mas também porque a Suécia é um público pequeno para se viver. Também temos artistas e autorizações aqui e isso ajuda!

EG: Qual a sua sensação quando você sabe que o Alena será publicada no Brasil?

KA: Primeiro eu fiquei animada, mas não foi até que eu cheguei na feira do livro em Porto Alegre e conheci alguns dos meus leitores brasileiros que eu realmente entendi. Minhas assinaturas duraram horas e parecia que minha audiência brasileira realmente pegou meu livro e gostou. Uma experiência fantástica e espero voltar em breve!

EG: Quais são suas impressões sobre o Brasil?

KA: Eu estive apenas em seu belo país por alguns dias e gostaria de voltar em breve e ficar por mais tempo. Mas, em minha breve visita, fiquei muito feliz em conhecer tantos leitores de histórias em quadrinhos e visitar as lindas lojas de quadrinhos. Foi maravilhoso ver que a forma de arte está prosperando no Brasil!

EG: Você usa algum caso real sobre o bullyng para criar a Alena?

KA: Alena foi minha primeira graphic novel e eu escrevi sobre ela por anos antes de começar a desenhar. Ele coleta muitas das minhas experiências de crescer. Eu não tive essa experiência áspera sendo intimidada, como Alena fez. Mas eu acho que é algo que todos podem se relacionar. Há algo de mim em todas as garotas nos quadrinhos, diferentes experiências e sentimentos que eu tinha crescido. Eu não matei ninguém!

EG: Você tem planos de criar algo no mesmo universo de Alena? FALAR sobre o seu quadrinho real?

KA: Alena é uma história completa e não vejo razão para voltar a esse mundo. Minha nova revista em quadrinhos Astrid é uma das que voltaremos em muitos livros! O primeiro está pronto e estou trabalhando na sequência agora. É uma aventura espacial onde quer que sigamos Astrid e suas lutas para se posicionar na galáxia.

EG: Por que os brasileiros deveriam ler Alena?

KA: Haha! Eu não sei! Acho que todos deveriam ler bons quadrinhos e espero que Alena seja um. Na verdade, vendeu muito bem no Brasil. Acredito que depois da Suécia o Brasil é o segundo melhor país para a Alena. E foi publicado em dez países, desde os EUA até a Coreia!

Entrevista feita pela equipe Estação Geek