Resenha | Occupants

O terror hoje pode ser visto de muitas formas. Seja levado para um suspense, onde sentimos um frio até na espinha; ou como um thriller psicológico, onde todos nossos medos veem a tona, até mesmo aqueles que nem nos lembrávamos mais. O diretor Russ Emanuel e a roteirista Julia Camara conseguem chamar um pouco dos dois para seu longa, Occupants.

Acompanhamos a história de Annie (Briana White) e Neil (Michael Pugliese), quando Annie decide fazer um documentário mostrando sobre sua rotina e mudança alimentar, escolhendo assim colocar câmeras pelos cômodos da casa se filmando 24h por dia. Mas então quando Annie descobre que as gravações não mostrando só os dois, mas algo ainda mais sombrio por trás.

O longa apresenta um elenco muito bacana, Briana e Michael são atores que entregam aquilo que é preciso para a história, fazendo com que a união do casal  seja real. E sua realidade paralela também se torna algo real junto deles, fazendo com que ambos tenham que mudar de forma drástica sua atuação, o que nem sempre é algo fácil e eles conseguem com uma facilidade muito incrível.

Mesmo com atores muito bons, uma direção impecável e algo diferente do que vemos atualmente, ainda sim existem alguns incômodos durante a sessão. Para mim seriam apenas dois no caso; a primeira é o funcionamento do portal, que poderia talvez não ser tão mostrado de perto para evitar o relevo dos efeitos colocados, que nem sempre parecem bons quando vemos no zoom. E a segunda coisa seria o final, que de certa forma acaba sendo muito óbvio talvez, onde uma história é tão fascinante e te prende na cadeira do começo ao fim, acaba sendo finalizada com um final muito do mesmo.

Mesmo com essas duas pequenas observações, que para mim acabam sendo um pequeno incomodo, o filme não perde sua essência. Occupants nos transporta para a vida do casal e sua vida paralela daquela, sempre fazendo com que o publico queira saber ainda mais sobre o que está para acontecer e como vai terminar esse terror que se torna psicológico e torturante em alguns momentos, mas de forma positiva.